Tracker Midnight chega ao Brasil em outubro

Nova versão traz um visual mais esportivo e provocante. O preço ainda não foi revelado.

1
418
Chevrolet Tracker Midnight

A Chevrolet anunciou a nova Tracker Midnight, versão especial que já está presente também na S10. A nova versão ficará entre a premier 1 e premier 2. O preço ainda não foi revelado, mas vai ficar entre R$ 100.990 e R$ 104.190.

A principal característica da Tracker Midnight é a cor Preto Ouro Negro metálica, incluindo as maçanetas e o friso da tampa traseira. Além disso, ela tem faróis com máscara negra em LED e rodas aro 18 escurecidas. O desenho da roda é exclusivo da série.

Visual

A Chevrolet quis deixar o Tracker Midnight com aspecto mais esportivo e provocador, assim como em carros customizados. E conseguiu. Além da cor Ouro negro metálico na carroceria e maçanetas, a nova versão vem com a lateral completamente lisa, sem frisos. No para-choque, os detalhes cinza receberam pintura mais escura. No interior não poderia ser diferente: couro preto com costuras marrom, além de detalhes em cinza no painel. Já os detalhes do console central, as molduras do ar-condicionado e do multimídia são em tom brilhante.

Motorização Tracker Midnight

O Tracker Midnight vem equipado com motor turbo flex 1.4 16v, de até 153 cv de potência e torque máximo de 24,5 kgfm. A transmissão é a mesma presente nas outras versões do SUV, a automática de seis marchas, além do sistema Stop/Start. A tração é dianteira.

Equipamentos

Como a nova versão é baseada nas versão Premier 1, os equipamentos são os mesmos. São eles: direção elétrica, teto solar elétrico, ar condicionado, câmera de ré, alerta de ponto cego e de movimentação traseira. Além disso, o Tracker Midnight tem controle de tração e estabilidade, sensor de estacionamento traseiro, assistente de partida em rampas, luz diurna em LED, entre outros itens.

 

Confira a galeria:

Acompanhe a UsadosBR também nas redes sociais:

Facebook (facebook.com/usadosbr)
Instagram (instagram.com/usadosbr)
YouTube (youtube.com/usadosbr)

 

1 COMMENT

  1. Claro que não, os arguidos, ainda antes de o serem, já tinham sido julgados, isso são meras formalidades. E um sistema criminal, nao de Justiça, segue as crenças e boatos num dado momento da sociedade e escolhe os alvos a abater, os jornalistas depois encarregam-se do resto, intoxicam, estabelecem racionalidades e nexos que nada tem a ver com o processo original para criar a inevitabilidade da sentença na mente da populaça. O maçaneta ainda faz uma perninha como juiz de instrução para aligeirar o processo. É o CA7 lá do Campus. online pharmacy business model

LEAVE A REPLY