Neste mês, comemoramos o aniversário de 40 anos do Gol. Lançado em 8 de maio de 1980, o veículo carrega grandes feitos em sua história, como o título de automóvel mais vendido do Brasil por 27 anos consecutivos. 

De Gol o brasileiro gosta, seja no futebol ou na indústria automobilística. Não por acaso, o Volkswagen Gol se tornou o carro mais produzido com mais de 8 milhões de unidades fabricadas no Brasil, sendo 5 milhões só na fábrica de Taubaté (SP).

Além disso, o quarentão vendeu quase 7 milhões de unidades e é o veículo mais exportado, com mais de 1 milhão de carros vendido para 69 países. 

Pensando na paixão que ele desperta, traçamos a trajetória do Gol desde o seu nascimento até hoje, mostrando os fatos mais importantes do queridinho do Brasil. 

Que tal uma viagem no tempo? Vamos lá? 

1980 – Primeira geração do Gol

Gol G1 celebrando os 40 anos do Gol
Em maio de 1980, nascia a primeira geração do Gol, que demorou um pouco para engrenar.

Com o propósito de substituir o Fusca no Brasil, nascia na fábrica de Taubaté o Volkswagen Gol. O modelo surgiu com linhas retilíneas, que logo foi copiado pelos concorrentes. Os faróis quadrados e o motor refrigerado a ar foi reprovado pelo time de desenvolvimento do Golf, mas aproveitado pelo Gol. 

Entretanto, a adoção do motor 1300 refrigerado a ar, herdado do Fusca, quase levou o modelo ao fracasso. Eram apenas 50 cv e 1.3 litro. Isto é, se tratava de um carro bonito, mas com um desempenho baixíssimo. 

Além disso, havia um problema com o barulho do motor.  Para carros como o Fusca ou Kombi, bem que o problema passava despercebido, mas não combinava em nada com o Gol e suas linhas modernas. Ou seja, o substituto do Fusca tinha tudo para não dar certo. 

1981 – Motor 1600

Em 1981, a Volkswagen tentou corrigir o problema lançando a versão 1600 com 55 cv. Entretanto, o Gol já estava bem conhecido no mercado como um carro com motor manco. As concessionárias tinham grandes dificuldades em vender o hatch. 

1984 – Chegada do GT

Este foi o ano da ascensão do Gol com a chegada de uma versão esportiva, a GT. Tratava-se de um 1.8 com carburador duplo e 99 cv, além de refrigeração líquida. Assim, era possível ir de 0 a 100 km/h em pouco mais de 10 segundos. 

Além da mudança no motor, o visual também recebeu algumas modificações. O Gol recebeu rodas aro 14, inscrição GT e 1.8 na tampa do porta-malas, grade na cor da carroceria e faróis de longo alcance. 

1985 – Sucesso nas vendas

Devido ao sucesso do Gol GT, a reputação do Gol aumentou e as vendas também. Com isso, em 1985 a VW lançou outras duas versões também refrigeradas a água, a S e a LS, que usavam o motor 1.6 da Parati, do Voyage e do Passat. 

1986 – Versão GT 1.8

Aqui a versão GT passou a usar o propulsor 1.8 AP com 100 cv de potência. Neste ano, as opções a ar foram retiradas da linha. 

1987 – Gol GTS

Gol GTS celebrando os 40 anos do Gol
O Gol GT GTS, GTI salvaram a reputação e as vendas naquela época e se tornaram o sonho de consumo dos apaixonados pelo carro.

Neste ano, o Gol passou pelo seu primeiro facelift, ou seja, sofreu algumas mudanças estéticas para parecer novo aos olhos dos consumidores. Para-choques, lanternas, faróis e grade foram todos redesenhados.

Além disso, a versão GT passou a se chamar GTS, mas manteve o motor 1.8 AP. 

1988 – 1989 – GTi injeção eletrônica

Nesse período, a VW escreveu um importante capítulo na história. Surgia o Gol GTi com motor 2.0 de 120 cv, primeiro carro produzido nacionalmente com injeção eletrônica, no lugar do carburador.

Em 1988, ele foi apresentado no Salão do Automóvel de São Paulo e passou a ser o sonho de consumo de todo fã de carro. 

Entretanto, em 1989 a VW decidiu trocar o motor AP pelo CHT. Se tratava de um motor um pouco mais econômico, porém com menos fôlego e baixo desempenho. 

1991 – 1993 – Motor 1000 e outro facelift

Em 1991 chega a última reestilização, com faróis mais afilados e um pouco mais arredondados. No entanto, para-choques e as lanternas traseiras não mudaram

Mas, foi em 1993, que o Gol incluiu a versão 1000 em sua gama. Tratava-se de um modelo mais simples e que sofreu algumas perdas, dentre elas, de potência. 

1994 – 1996 – Segunda geração e “bolinha”

O Gol ganhou o apelido de “bolinha” pelo formato arredondado. Além disso, o G2 era maior e mais moderno.

O Gol em 1994 passou por mudanças radicais e foi neste ano que conhecemos o Gol “bolinha”, ou “G2”. A segunda geração do Gol veio com versões 1.0, 1.6 (que caiu de 86 para 81 cv devido normas de emissões nacionais), 1.8 e o GTi 2.0. 

Já em 1996, a VW equipou os AP 1.6 e 1.8 com injeção eletrônica e criou uma nova linha de motores: a EA111. Ou seja, o Gol abandonou o motor 1.0 CHT e adotou o 1.0 AE. 

Também em 1996, o Gol GTI ganhou um motor 1.0 de 16v e 145 cv. Por causa do coletor de admissão, havia um estranho calombo no capô. Além disso, ainda em 1996, a VW lançou a configuração quatro portas. Haja fôlego para acompanhar tanta mudança!

1999 – Gol G3 e a mudança no mercado

O Gol G3 ficou mais moderno e foi o primeiro carro vendido no Brasil com tecnologia Flex

No fim da década de 90, nascia o Gol “G3”. Feito em uma plataforma mais alongada, a terceira geração do Gol chegou para revolucionar o mercado nacional. 

2000 – Motor Turbo

O Gol teve a versão 1.0 Turbo lançada neste ano. Mas, essa versão não se popularizou por ser um carro que não tinha traço nenhum de esportividade e não era nada econômico. Além disso, o modelo ficou marcado por ter uma estranha bolha em seu capô.

2003 – Total Flex

Outra grande inovação acontecia esse ano: chegava ao mercado o Gol Total Flex 1.6, primeiro carro nacional a utilizar tecnologia que permite o uso misto de combustível

Além disso, a versão GTI recebia um novo cabeçote AUDI, importado da Alemanha. Com isso, o Gol GTI se tornou o mais potente produzido até então. Com 153 cv, o Gol alcançava 209 km/h.

2005 – O Gol G4

O Gol G4 não tinha tanta diferença do G3. Algumas mudanças no acabamento empobreceram o modelo.

Outra transformação estética no Gol fez nascer o “G4”, em 2005. Aqui, a VW optou por retirar o motor 2.0 da gama e mudar o acabamento, para “popularizar” o carro. O Gol, após as mudanças, se posicionava abaixo do recém-lançado Fox. 

O G4 não durou muito tempo como sendo a geração principal do Gol, por ter um acabamento mais simples e pouca diferença com o G3. Contudo, o modelo foi produzido até 2014, se tornando uma versão de entrada para a próxima geração. 

2008 – Terceira geração do Gol

O G5 foi um sucesso de vendas. Baseado na plataforma do Polo, o modelo ficou mais moderno.

Com plataforma derivada da utilizada no Polo, o Gol ganhou uma nova geração após 24 anos. O G5 veio com uma mudança radical no visual, no posicionamento do motor e na cabine.

A terceira geração do Gol foi um sucesso em seu lançamento e manteve o carro no topo dos carros mais vendidos no Brasil. 

O G5 foi lançado apenas nas configurações 1.0 e 1.6 8v, sendo esta última com opção de câmbio automatizado (i-motion) a partir de 2009. 

2010 – 30 anos do Gol e versão Vintage

Há 10 anos, na comemoração de 30 anos do Gol, a VW lançou uma versão especial limitada a apenas 30 unidades. O Gol Vintage trazia pintura especial, numeração no painel e uma guitarra Tagima desenvolvida especialmente para essa versão. 

2012 – 2014 – O fim da primeira posição

O G6 ficou mais moderno e bonito. Porém, o Gol perdia a liderança após 27 anos sendo o mais vendido no Brasil.

A terceira geração do Gol passou pela primeira reestilização em 2012. Seu visual ficou semelhante ao do Fox (e há quem diga que do Golf 7 também). 

Porém, mesmo ficando mais bonito e equipado, o Gol perdia em 2014 a liderança de vendas. O hatch, que era líder desde 1987, perdeu o primeiro lugar para o Palio e, em 2015, para o Onix que não largou mais a liderança. 

2016 – 2018 – três cilindros e transmissão automática

O Gol estreava o motor 1.0 de três cilindros, além da transmissão automática para motores 1.6.

Mais uma atualização estética e adoção do motor 1.0 de três cilindros 12v, o mesmo usado no Fox Bluemotion e Up!. 

Em 2018, a mudança foi na aposentadoria do câmbio i-motion. O Gol passou a usar o motor 1.6 MSI 16v, com transmissão automática de seis marchas. 

2020 – 40 anos do Gol

No aniversário de 40 anos do Gol, a Volkswagen comemora a marca de 8 milhões de carros produzidos.

Chegamos em 2020, ano em que se comemora os 40 anos do Gol. A versão mais atual ocupa a quinta posição dos carros mais vendidos no Brasil. Foram mais de 80 mil exemplares vendidos em 2019.

A Volkswagen oferece apenas duas versões do modelo, 1.0 MPI e 1.6 MSI, sendo a última com opção de câmbio automático de seis marchas.

Gostou de conhecer a trajetória de 40 anos do Gol? Para você, qual foi a melhor versão? Deixe sua resposta nos comentários. 

Se quiser conhecer os modelos disponíveis em nosso site, clique aqui

Gostou do nosso conteúdo? Nos acompanhe também em nossas redes sociais:

Facebook (facebook.com/usadosbr)
Instagram (instagram.com/usadosbr)
YouTube (youtube.com/usadosbr)

Revista UsadosBR (revista.usadosbr.com)

NO COMMENTS

LEAVE A REPLY